Altobeli é tricampeão dos 10 km da 8ª Corrida do Trabalhador; estrangeiras mantêm hegemonia

05/05/2015 08:09
Foto: Marcos P. Tavares/VaiCorrendo.comRafael Gonçalves/VaiCorrendo.com
 
Três provas e três títulos! O aproveitamento do fundista Altobeli Silva na famosa Corrida do Trabalhador de Sertãozinho demonstra a sua força nas competições de rua. Na manhã deste domingo (03), o atleta que agora corre pela equipe Arpa/Smel/Matilat (deixou o Cruzeiro Esporte Clube) conquistou o tricampeonato consecutivo na prova de 10 km ao cruzar a linha de chegada quebrando o próprio recorde do percurso: 29min54s. Como prêmio, voltou para Catanduva, sua cidade natal, com R$ 2 mil no bolso.
 
Altobeli já havia vencido as duas edições anteriores da prova sertanezina: 30min33s em 2013 e 30min09s em 2014. Ele passou a ser o único atleta da Corrida do Trabalhador Maria Zeferina Baldaia com três conquistas, superando os dois troféus de primeiro lugar conquistados pela também brasileira Sueli Pereira da Silva (2009 e 2011).
 
Neste domingo (03), Altobeli se manteve no pelotão de elite desde o início, assumindo a ponta na segunda volta do circuito montado na rodovia Otávio Verri. Luis Paulo da Silva Antunes, com 30min15s, foi o segundo colocado e levou o prêmio de R$ 1,5 mil. O pódio ainda teve João Luis Prado Filho, Sammy Kiprono Kurui (do Quênia) e Carlos Oliveira dos Santos.
 
Com os títulos de Altobeli nos últimos três anos, o Brasil passou a ter cinco vitórias contra três dos quenianos, em oito edições da Corrida do Trabalhador. Paulo Alves dos Santos e Paulo Roberto de Almeida Paula foram os outros brasileiros vencedores.
 
Hegemonia estrangeira
Ao contrário da prova masculina, no feminino o domínio ainda é estrangeiro. Desde o título de Sueli Pereira da Silva em 2011, na quarta edição, nenhuma outra atleta do Brasil conseguiu vencer os 10 km da Corrida do Trabalhador. Neste domingo (03), o primeiro lugar foi de Ednah Mukhwana, que, com o tempo de 34min34s, voltou a colocar o Quênia no topo da classificação depois de um jejum de seis anos. A primeira e única vez havia sido em 2008, com Eunice Jepkirui Kirwa - em 2009, Ednah ficou em segundo lugar.
 
O prêmio de R$ 2 mil foi conquistado com sacrifício pela queniana. A diferença para a segunda colocada, a brasileira Joziane da Silva Cardoso, foi de apenas sete segundos. Tatiana Rodrigues Fernandes, Noeme Maria Pereira e Jaciane Barroso de Araújo completaram o pódio. Maria Zeferina Baldaia, que dá nome à prova e foi campeã em 2010, ficou em sexto lugar.
 
Nas últimas quatro edições, o título feminino ficou com Etiópia, Paraguai, Tanzânia e Quênia. O Brasil teve atleta vice-campeã em cinco das oito disputas. Ao todo, a edição 2015 da prova de 10 km distribuiu R$ 14 mil.
 
 
 
 

8ª CORRIDA DO TRABALHADOR DE SERTÃOZINHO

MASCULINO | 10 KM
POS ATLETA EQUIPE TEMPO
1 Altobeli Santos da Silva Arpa/Smel/Matilat 29min54s
2 Luis Paulo da Silva Antunes Asacorre/Americana 30min15s
3 João Luis Prado Filho Sem equipe registrada 30min28s
4 Sammy Kiprono Kurui/QUE Luasa Sports/Caixa 30min39s
5 Carlos Oliveira dos Santos Pé de Vento 30min48s
 
FEMININO | 10 KM
POS ATLETA EQUIPE TEMPO
1 Ednah Mukhwana/QUE Luasa Sports/Caixa 34min34s
2 Joziane da Silva Cardoso Sem equipe registrada 34min41s
3 Tatiana Rodrigues Fernandes W1nner/Sigmatec 36min52s
4 Noeme Maria Pereira Santa Paula/Fundesport 36min53s
5 Jaciane Barroso de Araújo Cruzeiro E.C. 37min28s

 

*O VaiCorrendo.com não se responsabiliza por erros de nomes, colocações, tempos e equipes divulgados oficialmente pelas empresas de cronometragem. Foto: Marcos P. Tavares/VaiCorrendo.com
© Proibida a reprodução em outras mídias.