Aos 44 anos e com um título no currículo, Maria Zeferina volta à São Silvestre após dois anos

29/12/2016 12:34
Foto: DivulgaçãoR. Gonça/VaiCorrendo.com
 
A incansável fundista mineira de Nova Módica, radicada em Sertãozinho, Maria Zeferina Baldaia, está de volta à pista da Corrida Internacional de São Silvestre. Após dois anos de ausência em virtude de lesões, Zeferina confirmou participação na prova em que já foi a grande campeã. Em 2001, quando tinha 29 anos, a ex-cortadora de cana venceu os 15 km na Capital Paulista e emocionou o Brasil ao cravar o tempo de 52min12s.
 
Agora, aos 44 anos e já sem a velocidade que tinha antes, a meta é ficar entre as dez melhores colocadas na 92ª edição da famosa corrida mundial disputada tradicionalmente no dia 31 de dezembro de cada ano.
 
Na história da São Silvestre feminina, o Brasil registra apenas cinco vitórias, sendo que uma pertence à atleta Zeferina. As outras são Carmem Oliveira (1995), Roseli Machado (1996), Marizete de Paula Rezende (2002) e Lucélia Peres (2005).
 
Zeferina agora conta com o apoio e patrocínio da Usina Virgolino de Oliveira, de Catanduva. Além de ser detentora do título de 2001, superando a queniana Margaret Okaio na subida da Avenida Brigadeiro Luis Antônio, a experiente atleta ainda tem dois terceiros lugares e um quarto, totalizando quatro pódios. Em 2013, ano da sua última participação, ela ficou em 21º lugar. Agora irá desafiar a São Silvestre pela décima vez.
 
 

MARIA ZEFERINA BALDAIA NA TRADICIONAL SÃO SILVESTRE

HISTÓRICO
ANO IDADE COLOCAÇÃO TEMPO
2001 29 anos CAMPEÃ 52min12s
2002 30 anos 3º lugar 54min38s
2003 31 anos Não competiu --
2004 32 anos 6º lugar 56min23s
2005 33 anos Não competiu --
2006 34 anos Não competiu --
2007 35 anos 3º lugar 54min43s
2008 343anos 12º lugar 55min04s
2009 37 anos 4º lugar 53min58s
2010 38 anos Não competiu --
2011 39 anos 20º lugar 55min30s
2012 40 anos 18º lugar 58min11s
2013 41 anos 21º lugar 58min06s
2014 42 anos Não competiu --
2015 43 anos Não competiu --
 

*O VaiCorrendo.com não se responsabiliza por erros de nomes, colocações, tempos e equipes divulgados oficialmente pelas empresas de cronometragem.
Foto: Divulgação

© Proibida a reprodução em outras mídias.