As classificações dos adoçantes

05/10/2016 08:00

Nutricionista Renato Barbim*

 
Os edulcorantes, popularmente chamados também de adoçantes, foram inseridos na alimentação cotidiana na década de 80 e encontram-se em quase todos os alimentos que são consumidos pela população. Devido aos inúmeros estudos científicos, a cada ano, novos edulcorantes são aprovados pelos órgãos reguladores.
 
Atualmente, os adoçantes são classificados em não nutritivos e nutritivos. Os não nutritivos mais comuns correspondem à sacarina, aspartame, acessulfame-k, sucralose, taumatina, ciclamato de sódio, stévia e xylitol. Enquanto os nutritivos são a sacarose, frutose e glicose e os polióis.
 
A indicação dos adoçantes não nutritivos deve ser feita por um nutricionista ou médico e os principais motivos de uso são: diabetes tipo 1 ou 2, grávidas com diagnóstico de diabetes gestacional ou até para indivíduos que buscam perda de peso ou melhora da composição corporal.
 
Visto que há um aumento na ingestão de carboidratos pela população nos últimos anos, alguns adoçantes podem fazer parte de receitas e até de alimentos industrializados, visando reduzir o aporte deste macronutriente com o objetivo de até reduzir a obesidade e sobrepeso, a maior epidemia mundial.
 
Na orientação dietética, o nutricionista deve considerar as condições socioeconômicas do paciente, a quantidade permitida por dia de cada adoçante e esclarecer sobre a importância de controlar a dose utilizada, além de revisar periodicamente os tipos de edulcorantes presentes nos adoçantes e produtos dietéticos disponíveis no mercado.
 
Outra recomendação útil é o uso alternado e variado dos tipos de edulcorantes, para evitar a superdosagem de apenas um tipo em caso de uso de altas quantidades.
 
É importante que a população aprenda a ler rótulos de produtos, para identificar as substâncias proibidas e permitidas. Os profissionais de saúde precisam de ser mais educadores e formadores de opinião com base em pesquisas científicas, pois passam informações importantes para o cliente dentro do contexto social, formando cidadãos conscientes e multiplicadores de informações. Para saber qual adoçante utilizar e qual a dosagem máxima para você, procure um Nutricionista.
 
Um grande abraço e até a próxima coluna aqui no site do corredor de rua!
 
*Colunista do VaiCorrendo.com, Renato Barbim é graduado em Nutrição e Metabolismo pela USP de Ribeirão Preto e especialista em Fisiologia do Exercício pela UFSCAR de São Carlos. Atua em consultório particular assessorando atletas amadores e de alto nível que buscam alimentação saudável. É Consultor da empresa New Nutrition Suplementos. CRN-3 38322 / Contato: (16) 3625-8325
 
 

(Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, o ponto de vista do VaiCorrendo.com)