Dia das Crianças x Dia dos Doces

11/10/2016 19:02

Nutricionista Isabelle Mastelaro*

 
Semana da criança! Momento excelente para refletirmos sobre a forma como as estamos “presenteando”. Como profissionais da saúde, queremos sempre estimular hábitos saudáveis! Uma preocupação recorrente são os exageros alimentares cometidos em épocas festivas. Somos criados desde pequenos muitas vezes para que “comer” seja uma necessidade apenas, e adquirimos uma relação ruim com os alimentos.
 
No adulto frequentemente temos um processo de reeducação alimentar e a conscientização para que haja SEMPRE um equilíbrio na ingestão. E quando falamos da criança? Do bebê? Muitas vezes a reeducação ou educação alimentar deles depende ainda dos pais e familiares.
 
Em momentos de celebração é muito comum que as crianças, de todas as idades, sejam presenteadas com doces, gominhas, pirulitos e afins. Como forma de agrado ou diversão. Esses tipos de "recompensas" despertam, ou aumentam o interesse dos pequenos pelo doce, "supervalorizam" as guloseimas, viciam a criança e podem contribuir para o desenvolvimento de compulsão alimentar no futuro!
 
Alguns alertas de situações que podem e devem ser evitadas:
 
✤ 1 | Sugerir que se a criança RASPAR O PRATO todo ganhará uma sobremesa (e ela come muitas vezes sem fome para ganhar a “recompensa”;
 
✤ 2 | Ofertar a uma criança um DOCE quando ela tem um bom desempenho na escola ou realiza uma tarefa;
 
✤ 3 | Chegar em casa tarde do trabalho com uma sacolinha de guloseimas (para "compensar" sua ausência);
 
✤ 4 | Oferecer uma caixa de bombons quando a criança estiver doente ou com o apetite diminuído.
 
Essas situações poderiam ser inofensivas, mas estamos vivendo uma epidemia chamada OBESIDADE INFANTIL, na qual bebês de meses já experimentam refrigerantes em suas mamadeiras. Qual a consequência disso? Cada vez mais crianças “adictas” ao doce, ao açúcar. A cada cinco crianças que se tornam obesas na infância, cinco permanecerão obesas quando adultas (número alarmante!).
 
Como exemplificar isso? Imaginem um bebê no auge de seus 6-7 meses comendo banana amassada - que para ele é o alimento mais doce que ele conhece - ele precisa conhecer o chocolate ou as gominhas? Não! Pois o cérebro dele e o paladar estão conhecendo alimentos totalmente novos, e ele está muito satisfeito com o gosto doce da banana, da laranja e de tudo que ele vem experimentando.
 
Por isso, ADULTOS, entendam: a necessidade, ou "lombriga" está na cabeça de vocês! Quando um bebê/criança te olha comer um doce, ele não sabe o que é, e muito menos sente desejo por isso. Vamos permitir que nossos pequenos vivam ao máximo a experiência da introdução alimentar de qualidade. E quando for o momento (decidido pelos pais e profissionais ao cuidado) eles com certeza conhecerão açúcar e saberão dosar o quanto isso cabe em suas vidas!
 
Quer PREMIAR seu filho? Leve-o a um passeio ao ar livre, estimule atividades físicas em família! Façam um programa diferente! Preparem juntos uma refeição agradável, receitas nutritivas! Diga a ele palavras de incentivo e encorajamento!
 
Usar DOCE como premiação é uma "CILADA" que, infelizmente, tem sido cada vez mais frequente em nossa sociedade! Vamos juntos mudar essa realidade? Caso tenha dúvidas na alimentação do seu filho, procure sempre um profissional nutricionista para adequar a alimentação do seu pequeno para as necessidades diárias!
 
*Colunista do VaiCorrendo.com, Isabelle Mastelaro é graduada pela Universidade de São Paulo (USP) e atua em consultório particular com ênfase em emagrecimento e reeducação alimentar. Atendimento individualizado e em grupo. CRN-3 46886 / Contato: (16) 3624-5343
 
 

(Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, o ponto de vista do VaiCorrendo.com)