Filha cresce e pai, emocionado, se despede do triciclo de corrida; leia o depoimento

29/08/2016 10:27
Foto: Arquivo pessoal/Reprodução Facebook/Marcos P. TavaresDa reportagem/VaiCorrendo.com
 
A parceria entre pai e filha chegou ao fim. Ao menos momentaneamente. Após mais de quatro anos, o corredor de Jardinópolis Cristhiano Lelé se viu obrigado a abandonar o triciclo de corrida no qual sempre empurrou a filha Maria Rita nas mais diversas provas da região de Ribeirão Preto.
 
Maria Rita deixou de ser um bebê. Hoje pesa aproximadamente 20 kg e completará cinco anos de idade no dia 5 de dezembro. Com mais 20 kg do carrinho, são 40 kg que deveriam ser empurrados nas corridas, conta Lelé. Não é tão fácil. Emocionado, o pai postou uma foto no Facebook (ao lado) e escreveu uma carta de despedida esperando que Maria Rita, a sua grande parceira, apaixone-se pelas corridas para, agora, correr ao lado pai, daqui alguns anos.
 
"Confesso que chorei quando percebi que não daria mais", conta Lelé, que despediu-se do triciclo da filha após concluir os 10 km da Meia Maratona Tribuna Ribeirão, em Ribeirão Preto.

Leia o depoimento de Cristhiano Lelé:
 
"Foram quatro anos e meio de parceria, quase 100 corridas, mas o tempo passa, as pernas crescem e o pai envelhece. Ontem [domingo, 28/08] foi a nossa última corrida com carrinho, confesso que não sei como será correr sem você.
 
Agora é rezar para que você, quando jovem, queira correr. Aí nossa parceria voltará mais forte porque aí será lado a lado.
 
Obrigado Maria Rita, você foi uma grande parceira, agora é esperar e que os Deuses da corrida te tragam de volta para mim".
 
 
Foto: Arquivo pessoal/Reprodução Facebook/Marcos P. Tavares
© Proibida a reprodução em outras mídias.