Minhas quatro São Martinho. Na lama, disparado, a mais louca!

18/12/2014 12:22

É, meu amigo... Lá é assim: oito ou oitenta. Ou a gente desafia a Corrida São Martinho, na bela usina de Pradópolis, num sol de queimar a cabeça, ou num clima chuvoso que transforma terra em lama colorindo de marrom as nossas canelas. Seja um ou outro, já posso considerar essa prova, sem medo de errar, como a mais legal da região de Ribeirão Preto.
 
No domingo passado (14), completei a minha quarta São Martinho - das seis que já foram disputadas. Não participei apenas da primeira, que foi fechada para os funcionários, em 2009, e da segunda edição, realizada em 2010 e aberta ao público, com chip e tudo mais.
 

Entre as quatro citadas, a de 2014 estará na história deste corredor amador pela dificuldade curiosa. Foi louco! Eu já havia corrido no sol de 40ºC, no frio, na chuva, no asfalto, na grama, mas jamais num barro que em determinado ponto atolava os dois pés. Os tênis ficaram pesados diante de tanta lama e a cada passada as panturrilhas eram mais exigidas. Em alguns trechos do terreno, foi impossível manter a velocidade. Minha estratégia era "reduzir a marcha" e abrir os braços para equilibrar o corpo. Balancei, mas não cai.
 
É claro que o tempo final (da maioria dos amadores) ficou mais alto - de dois a três minutos. Fechei os 10 km em 54min34s. Apesar da dificuldade, minha marca foi 11 segundos melhor que a de 2013, quando conclui o mesmo percurso, num sol senegalesco, em 54min45s.
 
Em 2012, também num baita sol, corri os 10 km da São Martinho pela primeira vez. Nessa eu sofri, lembro que caminhei: 56min26s. A minha estreia na prova foi nos 5 km, em 2011. Não sei como, mas, até hoje, é o meu melhor tempo nos 5.000 metros: 23min18s.
 
Tempos à parte, a usina que abre suas portas para nós, meros esportistas, merece uma menção honrosa. Com lama ou sem lama, em 2015 estarei lá de novo. E você?
 
AS MINHAS SÃO MARTINHO
2011 (5 km): 23min18s
2012 (10 km): 56min26s
2013 (10 km): 54min45s
2014 (10 km): 54min34s