Confira na íntegra a entrevista do gari campeão das corridas de rua Cláudio Roberto Macedo

11/11/2014 03:01

O bom baiano Cláudio Roberto Macedo emocionou e surpreendeu a todos com a sua história de superação, esportividade e força de vontade no Circuito Vida Corrida, domingo (09), em Ribeirão Preto. Gari em São Paulo, Cláudio trabalhou até meia-noite de sábado coletando lixo, viajou pela madrugada, chegou às 5h da manhã e correu para conquistar o título da prova de 5 km no bairro Vila do Golfe.

Minutos depois da competição, da conquista (e que conquista, não é fácil vencer o ótimo Samur Inácio!), o baiano de 37 anos me contou a sua história num bate-papo rápido, que durou pouco menos de cinco minutos. Confira a entrevista na íntegra, feita na mesma pista onde ele cravou 16min30s num percurso que tinha 150 metros a mais do que os 5 km:


Rafael Gonçalves: Como é a sua rotina de vida, de trabalho e de treinos?
Cláudio Macedo: Eu trabalho em São Paulo no período noturno. Geralmente, vou até às 3h, 4h da manhã, e depois vou correr, fazer o meu treino. No caso deste final de semana, eu pedi para sair mais cedo para poder viajar até Ribeirão Preto junto com o pessoal do Projeto Vida Corrida, uma equipe em que eu participo.

RG: Você consegue tirar proveito da 'correria' do seu trabalho?
CM: É, como algumas pessoas já conhecem, nós, coletores de lixo, temos que fazer um pouco de esforço. A gente pega peso, corre um pouco... Então, aliando as duas coisas, eu consigo fazer um bom trabalho nas provas.

RG: Sua viagem de São Paulo até Ribeirão Preto já foi uma maratona...
CM: Já é uma maratona. Saimos de lá por volta da meia-noite e dormimos pouco no ônibus. Viemos brincando e conversando. Somente algumas pessoas tiraram aquele soninho de leve. Chegamos às 5h da manhã e ficamos aqui [no local da prova] aguardando. Fomos os primeiros a chegar no evento, ainda estava escuro. Tomamos um café e fomos correr.

RG: Qual foi a sua impressão da cidade?
CM: Gostei muito da cidade. Eu já havia corrido em Campinas, mas é a primeira vez que venho até Ribeirão. Gostei do percurso por ser subida e descida, tenho essa facilidade de correr alternado. Assim não tive dificuldade para vencer.

RG: A sua especialidade nas corridas é o percurso de 5.000 metros?
CM: Geralmente eu corro 5.000 (5 km), 10.000 (10 km), até a meia maratona (21 km). Sou especialista nessas distâncias.

RG: Agora você retorna para São Paulo e já encara um novo expediente?
CM: Meu trabalho é de segunda à sábado. Eu volto, descanso hoje [domingo] e já trabalho na segunda-feira à noite. A limpeza urbana em São Paulo é complicada. Quando a gente vem para uma cidade do interior, vê uma organização maior, com menos lixo. Como a população em São Paulo é muito grande, a gente não dá conta de coletar tanto lixo.

RG: Você trabalha em São Paulo, mas não nasceu lá?
CM: Eu nasci na Bahia, em Boninal, na Chapada Diamantina, mas resido em São Paulo há 15 anos. Tenho 37 anos sendo sete anos de corrida de rua.

RG: Muito obrigado e parabéns. Você é um exemplo!
CM: Eu agradeço por esse apoio. Tomara que eu possa incentivar as pessoas.