O que muda na dieta do corredor?

18/08/2016 07:04

Nutricionista Isabelle Mastelaro*

 
Em primeiro lugar é importante saber que a alimentação saudável no dia a dia cabe para todos os indivíduos, seja ele praticante da corrida, da luta, ou de demais exercícios. Em seguida, devemos abordar as especificidades do corredor, a dieta feita durante treinamentos e também no dia de competições.
 
É essencial conhecer qual o tipo do treinamento (modalidade, duração, treinos), períodos de descanso (recuperação e regeneração dos tecidos) e especificamente a nutrição (balanço energético, objetivo do indivíduo). O tipo de alimentação para cada período, melhorar a de performance utilizando a alimentação e suplementação, variam de pessoa para pessoa, por isso a importância de um acompanhamento individual.
 
O praticante da corrida ou de outra atividade irá alimentar-se como qualquer indivíduo, sempre pensando no equilíbrio da ingestão de nutrientes. Em geral existe a preocupação de ganho de massa muscular (hipertrofia) e perda de gordura, e para que esses processos ocorram da melhor forma possível, a alimentação deve estar alinhada com o exercício. O tipo do nutriente, a quantidade fornecida, a avaliação das necessidades de cada indivíduo, tudo isso estará no escopo de trabalho do profissional Nutricionista. Sem dúvidas, a nutrição contribui e muito para a melhoria de desempenho, tanto evitando períodos de mal-estar físico como otimizando alguns fatores que levam a maior performance.
 
Muito se discute hoje sobre os macronutrientes, carboidratos e proteínas em especial, distribuídos bem na rotina alimentar e utilizados de forma errada muitas vezes durante provas e treinos. Existem detalhes a serem percorridos, sobre a quantidade dos nutrientes, o melhor momento para cada consumo, a necessidade para cada modalidade de treino, tudo muito individual para cada paciente. O fracionamento de tudo que é ingerido, a quantidade e o horário também são muito importantes. Não só os alimentos devem estar em foco, a hidratação é uma das questões deixadas de lado e que faz muita diferença em especial em provas mais longas. Cada indivíduo tem uma necessidade específica que pode variar dentro do conhecido 2 litros por dia.
 
Há grande controvérsia também nas refeições pré e pós treino, antes do treino a alimentação irá fornecer alguns nutrientes para o momento da pratica do exercício, e depois para repor estoques que foram gastos e contribuir para a construção de tecidos, como visto por exemplo na hipertrofia muscular. O que poucos avaliam é que é importante um balanço nas refeições e nos nutrientes ingeridos ao longo do dia todo, e não somente nas refeições ligadas ao treino
 
Nesse sentido, o acompanhamento nutricional irá garantir que o indivíduo adapte sua alimentação para cada momento que estiver vivendo, seja de competição, treino, lazer, para que sempre o ato de se alimentar seja prazeroso, mas sem cometer excessos alimentares. Cuidados com a rotina, e também os dias fora dela são essenciais para atingir metas e objetivos, nunca perdendo de vista a saúde e qualidade de vida positivos.
 
Um grande abraço e até a próxima coluna aqui no site do corredor de rua!
 
*Colunista do VaiCorrendo.com, Isabelle Mastelaro é graduada pela Universidade de São Paulo (USP) e atua em consultório particular com ênfase em emagrecimento e reeducação alimentar. Atendimento individualizado e em grupo. CRN-3 46886 / Contato: (16) 3624-5343
 
 

(Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, o ponto de vista do VaiCorrendo.com)