Série Tipos de Pisada: Distribuição do peso

06/05/2014 10:11
Prof. Aroldo Costa Neto*
 
Olá pessoal! Vamos começar esta série sobre os tipos de pisada compreendendo a influência da distribuição de pressão plantar e suas implicações para a postura e consequências para as articulações.
 
Imaginem o nosso corpo como um conjunto de ossos empilhados. Este conjunto necessita dos ligamentos, tendões, articulações e músculos para se sustentar e entrar movimento. Qualquer alteração na base (no caso, nos pés!), tanto do ponto de vista ósseo quanto muscular/articular, pode e vai interferir em todo o restante da estrutura corporal, causando alteração no movimento e na postura.
 
Fica fácil de entender o porquê de tantas alterações posturais nos seres humanos, pois grande parte delas começa pela nossa base!
 
Você já reparou, quando descalço, se os seus pés são iguais? Algum osso maior ou a região anterior do pé mais larga em algum deles? Se os dois apoiam exatamente as mesmas regiões no solo? Se um deles possui o arco plantar (aquela curvinha na sola do pé) mais ou menos apoiado no solo do que o outro? Se todo o meio do pé não apoia no solo? Se todo o meio do pé apoia no solo? Se os seus dedos são afastados, unidos ou se escondem uns embaixo dos outros? Se você sente dor em diferentes pontos dos pés quando faz uma massagem? Se eles são voltados para frente, para fora ou para dentro quando você anda? Ou se ainda um pé é mais rodado para fora do que o outro? E qual técnica você utiliza quando corre: apoia primeiro o calcanhar, o meio do pé (chapado) ou o ante pé (região anterior)? (imagem ao lado)
 
Caso você tenha percebido qualquer alteração destas citadas acima, você fatalmente possui diferentes pontos de pressão plantar nos pés. Na verdade, é muito difícil encontrar alguém que tenha exatamente os mesmos pontos de pressão, e quanto maiores as diferenças, maiores as alterações.
 
A distribuição de pressão plantar nada mais é do que verificar quais as partes da nossa planta do pé que recebem mais ou menos apoio de carga. Identificar este padrão e entender onde estão os picos de pressão é essencial para quem pratica atividades físicas, pois como já vimos, qualquer alteração nos pés pode causar movimentos acessórios nos tornozelos, joelhos, quadris e até na coluna.
 
Essa identificação é importante para prescrição de calçados e até palmilhas esportivas que irão, provavelmente, aumentar o seu tempo de prática com menor incidência de lesões. As pessoas que correm e sentem dores em qualquer região dos membros inferiores durante ou após suas sessões podem possuir sérias alterações em sua base, o que acaba se refletindo em outras regiões do corpo.
 
Muitos são os estudos que buscam compreender melhor os tipos de pisada e sua influência para o corpo. Dentre estes, são padronizados 3 principais tipos: pisada neutra, pisada supinada e pisada pronada (imagem ao lado).
 
Nas próximas semanas discutiremos a fundo os 3 tipos, com achados científicos e suas consequências a curto, médio e longo prazos. Compartilhem e acompanhem esta nossa série, muitos dos seus amigos podem se beneficiar com estas informações!
 
Forte abraço e até semana que vem!
 
*Colunista do VaiCorrendo.com, Aroldo Costa Neto é fisioterapeuta e educador físico
na academia Studio F3 Corpo Inteligente, em Ribeirão Preto
CREFITO-3: 32.583 - F / CREF: 042.260 - G/SP