Tendinite em corredores

30/09/2014 10:20
Prof. Aroldo Costa Neto*
 
Os corredores estão expostos a diversas lesões do aparelho locomotor devido ao tipo de exercício que realizam. Considerada uma atividade física do tipo cíclica (quando há repetição constante de um ciclo de movimentos similares), é um dos exercícios que predispõe a processos inflamatórios por sobrecarga excessiva e por esforço repetitivo.
 
Dentre as possíveis alterações que podem ocorrer, destaca-se a Tendinite. Este termo é utilizado quando há processo inflamatório nos tendões (estruturas que unem os músculos aos ossos do corpo humano), caracterizada por inchaço, calor e vermelhidão, bem como dor durante ou após a atividade física. Mesmo não apresentando sintomas específicos, os mais comuns são dor ao fazer movimento com a área afetada, restrição ou mesmo limitação do movimento com diminuição da força. O ponto de dor é sempre muito próximo da articulação (entre o final do músculo e a sua inserção). 
 
As principais causas estão relacionadas ao início repentino do exercício (sem prévio aquecimento), excesso de carga, sobrepeso, falta de força no músculo e no tendão, falta de hidratação sistêmica (pessoas que não ingerem a quantidade de líquidos ideal por dia), uso excessivo dos músculos, tempo de descanso pequeno entre os treinos e exercícios incorretos.
 
A incidência de lesões em corredores tem prevalência sobre as articulações de membros inferiores, principalmente no tendão patelar (do quadríceps – músculos anteriores da coxa), tendão calcâneo (do tríceps sural – músculos da panturrilha), tendão do tibial anterior (músculo da parte anterior da perna), tendão do glúteo médio (músculo póstero-lateral do quadril) e síndrome da banda iliotibial (na lateral da coxa) (SOUZA et al., 2013).
 
O tratamento depende do diagnóstico médico e fisioterapêutico, normalmente realizado com anti-inflamatórios, termoterapia (gelo - crioterapia, calor, contraste), eletroterapia (ultra-som, laser) e exercícios de reabilitação. A retirada do estímulo é sempre indicada para quem busca melhorar 100%, pois sempre que o indivíduo treina com dor ele acelera o processo inflamatório, piorando o caso.
 
Caso você esteja com estes sinais e sintomas, não deixe de procurar o seu ortopedista e conversar com o seu fisioterapeuta, a tendinite pode evoluir e se tornar um processo crônico de difícil reestruturação.
 
Fique ligado! Obrigado pela leitura!
 
Forte abraço e até a semana que vem!
 
(SOUZA, C. A. B; AQUINO, F. A. O; BARBOSA, M. L. C; ALVAREZ, R. B. P; TURIENZO, T. T. Principais lesões em corredores de rua. Revista UNILUS de Ensino e Pesquisa, 2013.)
 
*Colunista do VaiCorrendo.com, Aroldo Costa Neto é fisioterapeuta e educador físico
na academia Studio F3 Corpo Inteligente, em Ribeirão Preto
CREFITO-3: 32.583 - F / CREF: 042.260 - G/SP