Tudo bem. Eu sei que você não me entende...

22/08/2017 07:22

Rafael Gonçalves*
 
Tá bom, vou concordar com você. Sim, é isso mesmo. Claro! O tópico deste blog aqui no VaiCorrendo.com é para te dar total razão, amigo ou amiga que não corre. Eu sei que você não me entende e acho isso supernormal. Um dia eu também não entendi nada. Absolutamente nada do que essa tribo estava fazendo, correndo pra lá e pra cá.
 
Esses caras - que ganharam minha companhia em 2010 - viajam horas, às vezes até dias, para chegar a um lugar específico e participar de uma competição sabendo que não vão ganhar. Muito pelo contrário. Eles pagam, gastam uma boa grana com isso. Na tradução mais clara para quem é competitivo e não visa outra coisa a não ser o primeiro lugar, é um "investimento na derrota". Como? Pagar para perder?! Eu sei que você não me entende.
 
Não entende quando corro 5 km em uma provinha simples com 100 pessoas e sem uma mísera medalinha, não entende quando fecho 10 km em 49 minutos pulando de alegria como se fosse o campeão mundial de atletismo, não entende quando acordo às 5h do domingo para treinar na terra, no canavial, e levo uma baita sujeira para dentro de casa antes de acionar a máquina de lavar roupas. Ah, e pergunta o motivo de eu não estar fantasiado na São Silvestre - que, por sinal, não é maratona como até hoje dizem por aí¹ - como se a prova fosse apenas mais uma micareta, um Carnavalzão fora de época.
 
Pode uma coisa dessa!? Esses corredores se orgulham por serem amadores. Quem no mundo gosta de ser chamado de "amador"? Dicionários dizem que, entre outras explicações, amador é quem revela inexperiência em algum assunto ou atividade. E tem gente correndo há mais de 20 anos, 30 anos. Então não são amadores? Ih, complicou! Eu sei que você não me entende.
 
Essa tal "vibe" das corridas é muito louca, cara! Um grande amigo de Brodowski, o Arilson Silva, acaba de concluir 72h correndo em pista de 400 metros. Girou 1.271 vezes na terra de quinta-feira (17) até domingo (20). "Ah, não... Esse cara é maluco. Pra quê isso, gente?!". Se você não falou isso, no mínimo pensou.
 
Sei lá. Chame a Nasa. Reúna os pesquisadores da USP, da Unicamp, da Fundação Getúlio Vargas e Universidade de Havard. Talvez nem Freud explique. Nós temos de ser estudados, mesmo. E se formos estudados por você, que não me entende, logo ganharei um novo amigo de corrida.
 
Você vai experimentar. Você vai gostar. Você vai sentir a emoção de cruzar o pórtico, de curtir uma boa dose de endorfina. E quando menos esperar, estará postando foto, sorrindo, ouvindo música, fazendo amigos, competindo sabendo que não vai ganhar e pagando para ficar no meio, em antepenúltimo, em último... Isso não importa. Colocação não me importa. Valorizo e busco a frequência, a sequência, chegar aos 70 anos igual ao Angelo Mestriner, cheio de saúde, correndo como um menino.
 
Tudo isso chama-se vida. Desde 2010 digo que correr é a melhor maneira de celebrar a saúde que Deus nos deu. Cada gota de suor representa uma vitória. Representa a liberdade. Você vive e não tem vergonha de ser feliz. É a vida. É bonita. E é bonita.
 
¹ São Silvestre tem 15.000m. Uma maratona tem 42.195m. Logo, a São Silvestre está longe de ser uma maratona.
 
 
*Rafael Gonçalves é jornalista de formação especializado em esportes. Já atuou em rádio e jornal como repórter, apresentador e editor; cobriu Copa do Mundo e dezenas de eventos esportivos. Corredor amador desde 2010 com 150 provas oficiais concluídas, é sócio-diretor do VaiCorrendo.com e da FollowX Comunicação.
 
 

(Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, o ponto de vista do VaiCorrendo.com)