Você tem fome de quê?

13/09/2016 12:44

Nutricionista Isabelle Mastelaro*

 
Como profissionais da saúde, temos o mau hábito de pré-julgar. Quando o paciente obeso ou sobrepeso diz que tem dificuldade para comer menos, que sente fome durante o dia todo, ou que não tem controle sobre suas decisões, a reação imediata é: SERÁ MESMO?
 
Hoje veremos que SIM. O ato da compulsão, da fome descontrolada ou da necessidade de alimentar-se em excesso, tem fatores fisiológicos que vão além do seu “QUERER”.
 
Como isso ocorre? O comando de nossas funções vem da máquina poderosa chamada CÉREBRO. Lá dentro uma região chamada hipotálamo é responsável por regular nosso APETITE. Sendo assim, temos dois centros de “controle”: o centro da fome e o centro da saciedade.
 
Para que tudo funcione normalmente, possuímos um “set point”, que permite a regulação de um ciclo:
 
Fome ➭ busca pelo alimento ➭ alimentação ➭ aumento de glicose plasmática ➭ estímulo do HIPOTÁLAMO ➭ promoção de saciedade
 
Dessa forma sempre que o sinal de saciedade está finalizando sua atuação, começamos a sentir fome - e vice-versa.
 
Nesse percurso o que acontece é que possuímos HÁBITOS, que são inconscientes (estão armazenados e são feitos geralmente sem pensar), pode ser desde trancar a porta da casa ou consumir um bombom.
 
Se possuo um hábito de consumir determinado alimento em determinada situação (Exemplo: consumo um bombom sempre que estou triste), esse hábito tende a ocorrer sem que eu controle, e está associado a busca de PRAZER. Nesse momento há a liberação de um hormônio chamado DOPAMINA, o qual auxilia na sensação de bem-estar e felicidade. Até aí tudo ok.
 
NO ENTANTO, a longo prazo ocorre uma resistência a ação desse hormônio, e aquela sensação boa não ocorre mais com o mesmo estímulo (No exemplo do bombom serão necessárias mais unidades para que possamos sentir o mesmo prazer).
 
Assim é criado um vício ou uma compulsão. Parece complicado não? Mas o acompanhamento nutricional pode facilitar as coisas para você! Então não é preciso que você deixe de comer as coisas que gosta, só é necessário um trabalho de reeducação para que os alimentos tragam prazer, mas não sejam a fonte ÚNICA de bem-estar e felicidade. Só assim teremos equilibro e relação harmônica com a comida!
 
Procure um profissional Nutricionista e redescubra os prazeres em se alimentar! Um grande abraço e até a próxima coluna aqui no site do corredor de rua!
 
*Colunista do VaiCorrendo.com, Isabelle Mastelaro é graduada pela Universidade de São Paulo (USP) e atua em consultório particular com ênfase em emagrecimento e reeducação alimentar. Atendimento individualizado e em grupo. CRN-3 46886 / Contato: (16) 3624-5343
 
 

(Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, o ponto de vista do VaiCorrendo.com)