Ética na corrida vai muito além de não correr de Pipoca! #30

30/08/2019 08:21
Por Bruno Andrade*
 
Voltamos, amigos internautas e seguidores do VaiCorrendo.com. Então vamos ao tema desta quinzena. Coluna de número 30! Nos EUA são conhecidos como "Bandits"; aqui no Brasil o termo "Pipoca" se popularizou para descrever aqueles intrusos que vão aos eventos de corrida para participar da prova sem inscrição.
 
Esse assunto é largamente debatido nas mídias, inclusive nos nossos grupos de mensagens do VaiCorrendo.com. Mas o fato é que, mesmo os corredores que participam da prova devidamente inscritos, podem muitas vezes prejudicar o evento. Vamos abordar alguns aqui para que possamos debater e divulgar formas de deixar mais positivo esse meio que já é superbacana.
 
Correr sem inscrição é ruim, mas correr com a inscrição de outra pessoa pode ser tão ruim ou ainda pior para os que estão devidamente inscritos. Vamos pensar que nos casos onde a prova tem premiação nas categorias ou uma medalha diferente para os primeiros colocados, já vi diversas vezes o pessoal das categorias mais altas ficar fora do pódio por irregularidades, bem como alguém muito mais jovem correndo com o chip da pessoa de categoria mais elevada.
 
Quando isso ocorre pode ser muito desmotivador para aquele atleta que treinou e se esforçou muito durante a prova com o objetivo de disputar uma medalha na categoria.
 
É muito comum também vermos atletas que não têm muita noção de etiqueta no momento da hidratação. E essa temos muitos casos para descrever aqui. Já no momento de pegar a água pulam na frente da pessoa que já estava com a mão estendida para pegar o copo. Ou aqueles que colocam um gole na boca e cospem em direção ao pé de outros corredores. Tem aqueles que pegam vários copos de uma vez, claramente mais que o necessário para sua hidratação. Estes, além de demonstrar uma tremenda falta de educação, ainda podem prejudicar os corredores mais lentos, que já ocasionalmente ficam sem água ou sempre com a água quente da reposição.
 
Largada de prova com bastante gente costuma também ser um show de horrores. Assim que é dada a largada os empurrões, socos e pontapés são corriqueiros entre os corredores que saem próximo à elite. Ninguém quer perder um segundo da prova e isso, muitas vezes, faz com que o atleta deixe a educação em casa. Mas ainda há aqueles que atrapalham na vontade de largar na frente, mesmo sem ter condições físicas para sustentar o ritmo de prova dos que costumam iniciar por ali; ou aqueles que correm em grupos perfilados, atrapalhando o fluxo da prova.
 
Conhece alguém que tem essas atitudes em prova? Já fez alguma delas? Ajude a tornar a corrida de rua mais educada e prazerosa, vamos nos policiar para não realizar nenhuma das ações citadas acima! Grande abraço!
 
*Colunista do VaiCorrendo.com, Bruno Andrade é Profissional de Educação Física (Cref 082452-G/SP), personal trainer, especialista em Fisiologia do Exercício, Treinamento Esportivo e Emagrecimento pela UFSCar, e proprietário da Corre Comigo Assessoria Esportiva.
 
(Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, o ponto de vista do VaiCorrendo.com)