"Posso correr no período da gestação?" #21

12/04/2019 09:58
Por Bruno Andrade*
 
Fala, pessoal! Como vão os treinos?! De volta para mais um tema aqui na Coluna Corre Comigo, no VaiCorrendo.com.
 
Apesar de um assunto pouco abordado e ainda pouco estudado, pela importância que representa na sociedade, quando falamos de atividade física no período gestacional é praticamente unânime o reconhecimento da necessidade do exercício neste momento da vida tão especial, no meio acadêmico. Mas a visão da população ainda é cheia de preconceitos e ideias erradas sobre este tema.
 
Durante muito tempo acreditou-se que, por causa das transformações que ocorrem no corpo da gestante, o ideal era que se fosse adotado um estilo de vida absurdamente sedentário. Acreditava-se que qualquer tipo de esforço físico pudesse gerar algum estresse ao bebê e também à gestante. Mas graças à corrida de rua isso mudou.
 
Em meados de 1970, com o advento do feminismo, maior adesão das mulheres à pratica de atividade física e abertura para as mulheres participarem de provas competitivas de corrida de rua, a ala feminina se tornou mais ativa e saudável. E elas não queriam abandonar este estilo de vida durante a gravidez; ficar nove meses sem treinar era uma coisa impensável para este grupo.
 
Em 1989 o Colégio Americano de Obstetras listou alguns benefícios encontrados em mulheres gestantes praticantes de atividade física regular:
 
Redução do risco de ganho de peso excessivo 
Redução do trabalho de parto em cerca de 2,5h no primeiro estágio e 20 minutos no segundo estágio 
Diminuição de varizes, gases, constipação e mal-estar
Melhora do humor
 
Mas a necessidade de cuidados com o feto é fundamental, sendo que programas de exercícios altamente intensos pode trazer riscos desnecessários - atualmente consideramos o exercício leve e moderado ideais para o período gestacional. Vamos então a algumas dicas para quem está gravida e gostaria de continuar treinando:
 
Aquecimento e volta à calma são parte indispensável do treinamento da gestante, deixar com que o coração volte aos batimentos normais antes de interromper o exercício é necessário para evitar quedas bruscas de pressão
Ao final da gravidez, o exercício deve ser o mais confortável possível; caminhar pode ser necessário, não se cobre por isso
O programa de treinamento não deve priorizar a velocidade e nem aumentar o volume mais do que você já estava acostumada
Mantenha seu treinador informado sobre suas percepções de mudança corporal e de humor
A energia consumida no exercício deve ser reposta, uma atenção especial à hipoglicemia deve ser dada
Não deixar o corpo superaquecido
 
É importante salientar que se a gestante não tinha o hábito de correr, ela não deve iniciar um programa de treinamento neste momento, mas se você já uma corredora, pode seguir treinando tranquila. Um abraço pessoal, até a próxima coluna aqui no VaiCorrendo.com.
 
*Colunista do VaiCorrendo.com, Bruno Andrade é Profissional de Educação Física (Cref 082452-G/SP), personal trainer, especialista em Fisiologia do Exercício, Treinamento Esportivo e Emagrecimento pela UFSCar, e proprietário da Corre Comigo Assessoria Esportiva.
 
(Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, o ponto de vista do VaiCorrendo.com)