Professor supera câncer agressivo e comemora correndo seus primeiros 21 km

18/06/2020 08:35
 
➤ Rafael Gonçalves/VaiCorrendo.com
 
Realizado pela primeira vez na região de Ribeirão Preto e com o objetivo de motivar os corredores profissionais e amadores durante o isolamento social ocasionado pela pandemia do Coronavírus, o Desafio Virtual VaiCorrendo.com 2020 estará guardado para sempre na memória e no coração do professor Fabrício Zerves, de 42 anos. Apaixonado por corrida, Zerves aproveitou a oportunidade de participar de uma corrida virtual para correr uma meia maratona, pela primeira vez, e comemorar a vitória sobre um agressivo câncer de pele.
 
O professor se inscreveu no Desafio Virtual da mídia VaiCorrendo.com com autorização dos médicos. Treinou, se preparou, foi para os 21 km e completou o percurso no dia 6 de junho em 1h54min21s. "Foi uma das melhores comemorações da minha vida. Foi bastante emocionante e gratificante. Cumpri esse desafio correndo 21 km com um tempo melhor do que eu tinha proposto a fazer. Comemorei a vida, a vitória sobre o câncer", contou Zerves.
 
O corredor amador está entre os mais de 200 atletas que se inscreveram para correr onde e quando preferir, respeitando as orientações governamentais durante a quarentena, seja nos percursos de 5 km, 10 km, 21 km ou 42 km. Com a ajuda de amigos e familiares, registrou sua corrida, enviou os dados para a organização e recebeu a medalha personalizada e exclusiva do VaiCorrendo.com em casa, via Correios.
 
"Sou corredor amador, gosto de correr, e isso me ajudou bastante para derrotar o câncer. Quando o médico me liberou para correr, claro, usando toda a proteção e com os cuidados necessários, retomei aquele sonho antigo de tentar fazer uma meia maratona. Mesmo não sendo em uma prova oficial, já que o isolamento social tirou os eventos da nossa rotina, completar os 21 km nessa corrida virtual do VaiCorrendo.com foi muito legal", completa o atleta, que desde o início do tratamento passou a adotar máscara de proteção, usando-a bem antes da pandemia do Coronavírus.
 
 
Radioterapia, cirurgias e perda de parte da mandíbula
Fabrício Zerves percebeu em abril de 2019 que algo de diferente havia tomado parte do seu rosto, no lado esquerdo do queixo. Buscou uma dermatologista, que sugeriu um cirurgião plástico para uma cirurgia ambulatorial. Uma biópsia constatou um tipo de câncer raro em pessoas na faixa etária dos 40 anos. "É um câncer que acomete pessoas idosas ou que trabalharam a vida toda expostas ao sol", explica.
 
O câncer, no entanto, voltou 30 dias depois. Zerves passou por outro processo cirúrgico e a biópsia constatou Neoplasia da pele do tipo Carcinoma Espinocelular, uma das mais agressivas. O corredor foi então encaminhado para um Oncologista especialista em cabeça e pescoço. "Nesse período, como o câncer era agressivo, ele cresceu de uma tal maneira que ficou do tamanho de uma bola de tênis no meu queixo. Além das dores e do desconforto".
 
A cirurgia foi feita dia 4 de agosto de 2019. "Foi muito profunda e durou 7 horas. Tive a retirada de um pedaço de osso da mandíbula, pois o tumor estava tão agressivo que chegou a tocou a mandíbula. Isso me causou uma deformação na face e dificuldade para falar. Também foram retirados nervos, parte do lábio, um pedaço da artéria do pescoço, gânglios linfáticos... Isso tudo me trouxe um problema funcional.
 
As peças retiradas foram para biópsia, que constatou que todas contavam com a presença do tumor, mas com margem de segurança, ou seja, nada havia ficado para trás.O professor e corredor, naquele momento, começava a perceber que havia se curado do câncer. Mas ainda precisava continuar o tratamento para prevenção, como vem fazendo até hoje. Foram 31 sessões diárias de Radioterapia em quase 2 meses.
 
Ele conta que perdeu completamente o paladar. "A partir da 12ª sessão comecei a passar muito mal. Tive náuseas, dores, irritações e perda do paladar. Tudo o que comia parecia ter gosto de isopor. Eu comia o mínimo necessário para me manter em pé, manter o corpo funcionando".
 
Reconstrução da face
Com o câncer vencido e a felicidade por ter concluído os 21 km do Desafio Virtual VaiCorrendo.com, Fabrício Zerves agora aguarda para completar mais um sonho.
 
"Derrotei o câncer, mas os efeitos colaterais continuaram. Agora estou esperando o fim da pandemia para marcar outra cirurgia. Essa fará a reconstrução facial para que eu possa restabelecer a questão funcional", contou, sorridente, o atleta amador, que a cada momento, a cada corrida, a cada passo, volta a encarar a vida com mais alegria e leveza.
 
A corrida virtual
O atleta inscrito no Desafio Virtual VaiCorrendo.com 2020 escolheu o percurso e pôde realizá-lo dentro de casa, na esteira, ou em isolamento social seguindo e respeitando as orientações dos órgãos de Saúde. O corredor registrou tempo e quilômetro através de GPS ou aplicativo de corrida, enviou para a organização e passou a ter seu nome no Ranking Online, uma classificação virtual e simbólica, além do Certificado Digital e medalha recebida em casa.
 
Enquanto as inscrições estiveram disponíveis - já estão esgotadas - os participantes tiveram a opção de receber também uma máscara de proteção em TNT personalizada. O VaiCorrendo.com está no ar desde 2013 valorizando as corridas e os corredores. Pioneiro na região de Ribeirão Preto, é um produtor de conteúdo especializado em corrida com aproximadamente 35 mil acessos por mês. Conta com 22,9 mil curtidas no Facebook, 14,7 mil seguidores orgânicos no Instagram e já comercializou mais de 700 produtos com a marca, entre camisas, viseiras, bonés, chinelos, chaveiros e canecas.
 
 

Fotos: Wanderson Tillmann
©Permitida a reprodução em outras mídias.