Vamos falar de tênis? #28

02/08/2019 06:55
Por Bruno Andrade*
 
Fala, galera! Se você corre, com certeza já se viu numa rodinha de amigos discutindo um dos assuntos preferidos de todo corredor: tênis!
 
O acessório que por muitos é considerado indispensável e de grande influência para o desempenho, sempre gera boas discussões entre quais seriam os mais rentáveis, duradores, que tem o melhor amortecimento, resposta mais rápida ou mesmo se o modelo novo ficou bonito ou não.
Mas o que os fabricantes e vendedores dizem a respeito do principal companheiro do corredor pode não ser verdade, e a ciência já se encarregou de desmitificar muito do que até pouco tempo parecia uma verdade absoluta. Vamos debater algumas delas e deixar bem claro o que é fato ou fake para a escolha de um bom calçado de corrida.
 
 

• O tênis é fundamental para o desempenho do atleta?

Os estudos demonstram que SIM, o tênis realmente melhora o desempenho quando comparamos correr descalço e correr calçado. Mas para nós amadores chega a ser insignificante o percentual de melhora, cerca de 1% a 2% (estes estudos foram concluídos antes da existência do Nike Vapor Fly, que segundo a empresa, pode melhorar a performance do corredor em até 4%).
 
Mas o importante neste quesito é dizer que o tênis é um facilitador do ato de correr, não por promover o desempenho, mas pode gerar uma proteção aos nossos pés. Não é errado dizer que o crescimento do esporte também se deve à evolução deste produto, que possibilita uma experiência muito mais confortável e mais segura.
 
 
• Quais erros cometemos ao escolher um tênis?
Segundo o maior especialista no assunto, o Phd em Biomecanica Martyn Shorten, é deixarmos nos levar pela beleza e "firulas". O mais importante para um bom calçado de corrida é o conforto, ele não pode nem apertar muito, nem ficar folgado. Logo, esqueça aquela dica de muitos vendedores de comprar um número maior. Na maioria dos casos isto só vai aumentar o risco de bolhas e unhas perdidas. Ele cita ainda que tênis para pisadas pronadas, neutras e supinadas são uma balela, pois o movimento natural do tornozelo ao corrermos faz com que o contato inicial do pé com o solo ocorra em supinação, e que os casos onde esses tipos de pisada realmente necessitam de calçado especial, esta indicação deve ser feito por um ortopedista especialista no assunto.
 
 
• Tênis com mais amortecimento é melhor?
A Fisioterapeuta Raquel Castanharo, também doutorada em biomecânica pela USP, defende que nem sempre mais amortecimento é bom. A prerrogativa para defender esta tese é que quem deve amortecer o movimento é o próprio corpo, com as estruturas musculo-esqueléticas próprias para isso, e também uma técnica correta.
 
Em um estudo comparativo entre duas marcas famosas nos EUA, o Hoka One One e o Brooks, mostrou que apesar do primeiro apresentar uma estrutura de amortecimento maior, os atletas que o utilizaram apresentaram maior impacto durante a corrida. Uma das respostas possíveis é que os corredores depositaram o trabalho de amortecimento no tênis e descuidavam da técnica. Mas isso não quer dizer que o calçado com menos amortecimento seria o ideal para todo mundo, quanto menor for a estrutura de amortecimento, mais necessário vai ser fortalecer a musculatura do pé. 
 
O tênis ideal pode variar de pessoa para pessoa, temos que levar em consideração informações como peso, biotipo, histórico de lesões e as provas que pretende disputar. Interessante também é ter mais de um par de tênis, e que estes possam dar suporte aos vários tipos de treino desenvolvidos na nossa preparação. Por exemplo: um tênis com mais amortecimento para treinos e provas longas, e um outro mais leve com resposta maior para provas rápidas e tiros.
 
 
Espero que na sua próxima aquisição, não deixe de levar em consideração estas informações. Até a próxima coluna aqui no Blog Corre Comigo, do VaiCorrendo.com!
 
*Colunista do VaiCorrendo.com, Bruno Andrade é Profissional de Educação Física (Cref 082452-G/SP), personal trainer, especialista em Fisiologia do Exercício, Treinamento Esportivo e Emagrecimento pela UFSCar, e proprietário da Corre Comigo Assessoria Esportiva.
 
(Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, o ponto de vista do VaiCorrendo.com)